Hoje compartilhamos uma linda história. Não é de numa travessura no hospital, não é de nenhum livro que gostamos de ler, nem de crianças que encontramos nas visitas. E sim, um agradecimento. Agradecer a pessoa que faz nosso trabalho voluntário dar certo. Que nos agita e faz as ações mais divertidas e loucas. Esta pessoa é a Arlete Leite, nossa cabeça de chave.
Alguns a chamam de “Cabeça” outras de “Síndica”. Na verdade, não importa como ela é chamada. O que importa mesmo é o que ela faz conosco no nosso mundo do Era uma vez... Lá no Hospital Infantil Darcy Vargas. Aqui vai nosso parabéns todo especial à você!


“Amiga, que a luz que você é, se (e te) fortaleça a cada novo dia e se espalhe por onde você passe. Obrigada por sua parceria e incentivo. Você é um exemplo. Parabéns e felicidades incontáveis, pois você merece! Beijo grande.” Antonia

“Eu gostaria muito de lhe desejar um dia maravilhoso, especial e que  continue levando essa alegria e vivacidade para todos que a rodeiam. Parabéns com muito bolo e brigadeiro". Beijos Vivian

“Arlete, obrigada por ajudar a manter essa chama cada vez mais acesa dentro de nós. Parabéns!”. Marcia


“Arlete, obrigada por você ser quem você é. Você faz a diferença! Com seu jeito único e especial, sua garra e força me mostra como é bom ser contador de histórias voluntário. Que sua alegria seja sua fortaleza. Peço sempre ao Pai Celeste que te abençoe ainda mais! Amigo é aquele que aquece e abriga a gente.Felicidades para você!" Beijos Elaine


 “Arlete, querida! Que essa alegria que existe dentro de você continue a contagiar todos aqueles que se encontram ao seu redor! Um abraço carinhoso.” Alê

"Arlete, amiga querida, que essa data se repita muitas e muitas vezes, que sua vida seja um conto de fadas, que seu príncipe esteja sempre ao seu lado e que você viva feliz para sempre todos os dias da sua vida. Beijão”. Thay

 “Arlete, Felicidades, que continue com esta alegria contagiante.Beijos”. Monica

“Querida amiga contadora e encantadora! Parabéns por seu aniversário! Lhe desejo milhões de histórias lindas, com  lugares encantadores, comidas maravilhosas, cheiros e perfumes envolventes, surpresas emocionantes... Mas apenas um príncipe: o seu grandão! Desejo que todas as histórias da sua vida terminem sempre com um "e eles foram felizes para sempre"!!!  Um beijo enorme e fica com Deus”. Jana


“Arlete, Felicidades, saúde, paz, dinheiro e muito amooooooooorrrrrrr!!!! Que Deus  te ilumine sempre, que esta data seja o início de várias realizações em sua vida! Beijos”. Nivea


“Uma contadora de histórias muito especial, Arlete. Que Papai do Céu te ilumine Sempre. Sucesso, paz e saúde!”. Andrea

“Cabeça, que sua imaginação e alegria continuem contagiando o mundo de felicidade. Muita saúde. Beijo. Com saudade e carinho.” Camis


"Chefe Arlete, obrigado pelo seu exemplo de dedicação." Chico


“O Viva e a contação de histórias já fazem parte da minha história de vida... E não há como contar esta parte sem falar da Arlete. Darcy Vargas sem Arlete não existe, ela dá cor ao nosso grupo, dá energia, dá vida, dá ritmo, a louca mais sã que já conheci. Espero que neste dia muita energia possa se renovar na sua vida e que possamos estar juntos nesta caminhada por muitos e muitos anos! Você é a cabeça! Beijo no coração e que Deus te abençoe sempre!”  Maurício


Beijos e mais beijos de seus pupilos do HIDV

 



Escrito por Viva Voz às 12h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Olá meu nome é Alex, conheci a Assoc. Viva e Deixe Viver por um "acaso" da vida, sempre tive muita vontade de fazer trabalho voluntário, seja com idosos ou crianças, mas nunca consegui encontrar uma entidade séria, filantrópica, comprometida com o próximo, eis que um dia assistindo a MTV eu vi um comercial da Associação Viva e Deixe VIver, e confesso aquele comercial de um enfermeiro descendo da ambulância com um recipente de orgãos vivos e entrar num quarto e tirar um livro daquele recipiente e contar uma história pra uma criança hospitalizada, foi o momento de uma resposta que tanto buscava, pelo fato de ser a junção de 3 coisas que mais amo na vida, primeiro  trabalhar como voluntário, segundo ler (sempre amei ler) e terceiro crianças (sou o mais velho de 6 irmãos, sempre gostei de cuidar e me preocupar com eles).
Ai fiz o curso de um ano (sou da turma de 2010) e lendo muitas histórias emocionantes aqui, eis que criei coragem e contar a minha, de algum domingo desses como contador de histórias, dia que atuo no hospital Santa Cecília.

Comecei o domingo e fui chegando a briquedoteca do hospital e lá chegou a Luciana, outra contadora de sábado que foi compensar o dia anterior, pois não tinha ido por outro motivo voluntário (disciplinada e excelente contadora, comprometida com a causa, sou muito feliz por saber que fiz parte da sua turma Luciana), ai ela me fala "putz ainda bem que vc tá aqui porque tranquei o cadeado do armário com a minha chave lá dentro"... sim contadores de histórias também vivem no mundo da lua...rs...  demos risadas da situação e mostrei pra ela o livro que mais gosto atualmente de contar que é o Quem Soltou o Pum? Arrumei minhas coisas, desenhos, giz, livros, caneta, papel para anotar os nomes e idades e o jogo can can, bom como a Luciana já tinha atuado no quartos do 2º andar e estava subindo para o 3º, eu pensei, vou para a UTI ver se tem alguma criança querendo histórias, ai parti pra lá, lavei minhas mãos, desliguei o celular, e entrei, tinha 3 crianças acordadas, fui para o Thiago, pequeno grande guerreiro, de 8 anos que estava lá internado 1 mês, na UTI, lembro que quando o conheci a primeira vez contei Quem Soltou o Pum? ele deu tanta mais tanta risadas que eu e sua Avó ficamos com preocupado de ele ter algum problema de tanto rir pois ele soluçava de tantas risadas, eu, ele e sua avó... e hoje mais uma vez ele pediu pra eu contar, outra vez, Quem Soltou o Pum? Ai depois contei mais 2 histórias e deixei uns desenhos, giz e a revista Recreio. Parti pra outro leito e lá estava o Gustavo, neném que estava chorando muito, pensei, bom lá vou eu tentar mostrar um livro colorido e ver se ele para de chorar, ai cheguei me apresentei para a  mãe e enquanto eu ia lendo ela ia passando a mão carinhosamente na barriguinha dele, o acalmando e eu contando histórinhas pra ele, bem, parou de chorar e ficou mais calmo, mais uma conquista, fui para o próximo leito, e me deparei com a princesa Amanda, sim ela é uma princesa (me encantou) muita esperta pois com seus apenas 2 aninhos sabe diferenciar e falar quais os nomes dos bichos que conhece do livro que conto pra ela... ela também estava no hospital a pelo menos 3 semanas, e umas dessas semanas passei a maior parte do tempo com ela, contando várias histórias, bom eis que estou lá contando outra vez a história Esconde Esconde na Fazenda e ela interagindo e descobrindo os bichos e falando comigo... ai a Mãe dela fala " A Amanda não fala com ninguém, só com você" confessesso que ao ouvir aquilo, quase chorei, mas continuei a contar mais históriais, pois sou um contador preparado da Assoc. Viva e Deixe Viver. Continuei minha contação de histórias subindo ao 3º andar e posteriormente indo ao PS infantil. Ai no final do horário de atuação, quando chego na brinquedoteca para guardar os livros e preencher o diário do contador, abro o armário eis que surge o Vitor de 3 anos com a alegria e vontade de viver refletida nos risos e nos corredores do andar, apesar de ser ofão de mãe e contar só com os cuidados do pai (história dita pessoalmente pelo pai sem que eu perguntasse, pois sempre como contador, eu busco contar histórias e não saber das crianças ali hospitalizadas), ai eu falei pra enfermeira (pois não tinha certeza se era ele) "é o Vitor," ela disse "sim" eu falei "e ai Vitão vamos ouvir uma história?" ele correu pra chamar o pai pra brinquedoteca pra ouvir histórias, contei mais algumas histórias com livros de sons e ele pegando no livro vendo os desenhos, depois foi jogar bixiga com o pai no quarto... e eu comecei a preencher o diário refletindo sobre o dia que foi muito bom... o lado ruim foi só que eu provavelmente esqueci em algum leito outro livro que também gosto de contar que é o Menina Bonita do Laço de Fita. Bom espero que quem tenha encontrado leia muito

Quero fazer um agradecimento especial: Obrigado ao Viva e Deixe Viver por exisitr e fazer parte da minha história, da minha vida, a contadora de história Helôisa do hospital da Criança do Jabaquara, que no durante o meu treinamento me encantou com tamanha facilidade e habilidade de contar histórias e ter a retribuição de carinhosos abraços das crianças por ela atendida... e detalhe, ela foi uma grande incentivadora ao me dizer uma vez, que eu levava jeito pra contar histórias, para eu nunca desistir... Agradecer também a cabeça de chave Sylvania do hospital que atuo, me acompanhou em praticamente todo meu processo de treinamento, e a todos que me incentivaram e me incentivam até hoje e durante todos os meus dias, o meu MUITO OBRIGADO!!!


Alex Oliveira


Escrito por Viva Voz às 10h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]

Utilize o VIVA VOZ para dividir e compartilhar suas experiências com outros contadores!

Assim como numa corrente do bem, você pode conhecer as vivências positivas dos outros voluntários e historiar o seu momento junto às crianças e aos adolescentes atendidos.

Contribua com sua bela história!

Que tal compartilhar a sua emoção e contar histórias pra crianças e adolescentes hospitalizados? É simples. Basta contar o seu relato para todo mundo, enviando o e-mail voluntario@vivaedeixeviver.org.br, com seu nome completo, hospital e cidade que atua. A historia será avaliada e publicada no blog do Viva Voz!

 

Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Associação Viva e Deixe Viver